O que é a incontinência urinária?
Incontinência urinária é qualquer perda de urina involuntária, independente da quantidade de perda e do intervalo entre as perdas. A Incidência de distúrbios da micção varia de acordo com sua causa, atingindo números tão altos quanto 25% de incontinência urinária na pós-menopausa, sendo considerada por muitos como uma nova epidemia do século XXI.
Existem vários tipos de incontinência urinária, sendo as mais comuns a incontinência urinária de esforço e a incontinência urinária de urgência, também conhecida como bexiga hiperativa úmida, esse último tema é abordado como um tópico especifico no nosso site com o título “Bexiga Hiperativa”.
Iremos abordar nessa publicação apenas a incontinência urinária de esforço, que se caracteriza pela perda de urina involuntária durante a atividade física. Nessa patologia, as perdas urinárias ocorrem comumente com tosse, espirro, sorriso ou exercício físico.

Como diagnosticar a incontinência urinária?
O diagnóstico é basicamente clínico, ou seja, ele é aventado a partir das queixas da paciente e da realização do exame físico. Por vezes, é possível ver as perdas urinárias ao pedir para a paciente tossir durante o exame físico. Exames complementares podem ser necessários para auxiliar no diagnóstico como o diário miccional e o estudo urodinâmico. Exames de sangue, urina e ultrassonografia colaboram na exclusão de outras patologias associadas.

Como tratar?
Para um tratamento eficaz é necessário uma boa interação entre o médico e a paciente, para que todas as opções sejam apresentadas e as expectativas dos resultados estejam alinhadas. Habitualmente existem etapas do tratamento, passando das medidas mais simples até as mais invasivas, caso necessário. Como regra geral, são adotadas medidas comportamentais e de estilo de vida que afetam a incontinência urinária. Ainda na primeira linha do tratamento pode-se associar a fisioterapia do assoalho pélvico.
Pacientes que não apresentam resposta satisfatória com a fisioterapia do assoalho pélvico são candidatas ao tratamento cirúrgico, sendo o SLING suburetral o tratamento de escolha. Existem variações na técnica de inserção do SLING, retropúbica ou transobturatória, bem como do material do SLING, sintético ou aponeurótico. A decisão da estratégia cirúrgica depende de características próprias da paciente. A equipe de médicos da clínica Uromédica está qualificada para oferecer aos seus pacientes todas as etapas do tratamento da incontinência urinária, incluindo a realização do SLING.

Compartilhe esse artigo